A Biomecânica é supervalorizada na dor lombar?

Pela formação dos profissionais de saúde ter como base o modelo biomédico, o raciocínio biomecânico é quase uma lei nas hipóteses que relacionam os movimentos da coluna com a dor.

Não há como negar que a biomecânica é realmente elegante. A plausibilidade biomecânica facilitou a formulação de diversas estratégias para prevenção ou tratamento da dor lombar.

Mas como explanado em um dos maiores periódicos de Fisioterapia do mundo e em revisão sistemática, é improvável que a biomecânica sozinha leve a estratégias de tratamento mais efetivas para a dor lombar (1, 2).

De acordo com os autores, existem vários motivos pelos quais considerar a biomecânica isolada não levaria a mudanças no desfecho dos pacientes com dor lombar:

1 A dor lombar é multifatorial e a biomecânica é apenas um dentre milhares de mecanismos que podem estar associados a mesma. Considerar outros fatores além da biomecânica parece ser importante para seleção efetiva do paciente e alocação do mesmo para o tratamento;

2 Intervenções baseadas na biomecânica não conseguiram refinamento adequado para alcançar o maior impacto possível na dor lombar;

3 A biomecânica parece ser eficaz apenas em um subconjunto muito restrito de pacientes, e os métodos para selecionar esses pacientes ainda não estão muito bem delineados;

4 Os fatores biomecânicos podem não ser a causa do input (gatilho) nociceptivo que contribui para a resposta à dor, ou a dor pode estar acontecendo por outras razões além do input nociceptivo.

Isso não significa que profissionais de saúde devem abandonar o raciocínio biomecânico, afinal, diversos estudos mostram a associação de parâmetros biomecânicos com a dor lombar. Deve-se tomar cuidado ao fazer afirmações baseadas puramente em variáveis individuais, como a biomecânica.

Da mesma forma também não é plausível considerar apenas fatores psicológicos ou sociais nesses pacientes. Cuidado com os extremismos.

O ser humano evoluiu em um mundo moldado pela força da gravidade e o movimento depende da interação entre biomecânica e controle motor para acontecer. A biomecânica não morreu, ela apenas está sendo readaptada a essa nova forma de enxergar a interação do ser humano com o ambiente que o cerca, que é o modelo biopsicossocial.

Em outras palavras, erguer um peso próximo do corpo continua sendo biomecanicamente mais econômico do que erguê-lo longe do corpo, mas isso não significa que ser menos econômico ao fazer um movimento será causa absoluta de dor na coluna.

Não perca as novidades no blog! Clique aqui  para receber as atualizações!

REFERÊNCIAS

1 Cholewicki J, Breen A, Popovich JM Jr, Reeves NP, Sahrmann SA, van Dillen LR, Vleeming A, Hodges PW. Can Biomechanics Research Lead to More Effective Treatment of Low Back Pain? A Point-Counterpoint Debate. J Orthop Sports Phys Ther. 2019 Jun;49(6):425-436.

2 Chou R, Huffman LH. Nonpharmacologic therapies for acute and chronic low back pain: a review of the evidence for an American Pain Society/American College of Physicians clinical practice guideline. Ann Intern Med. 2007;147:492-504.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close