A Biomecânica é supervalorizada na dor lombar?

Pela formação dos profissionais de saúde ter como base o modelo biomédico, o raciocínio biomecânico é quase uma lei nas hipóteses que relacionam os movimentos da coluna com a dor.

Não há como negar que a biomecânica é realmente elegante. A plausibilidade biomecânica facilitou a formulação de diversas estratégias para prevenção ou tratamento da dor lombar.

Mas como explanado em um dos maiores periódicos de Fisioterapia do mundo e em revisão sistemática, é improvável que a biomecânica sozinha leve a estratégias de tratamento mais efetivas para a dor lombar (1, 2).

De acordo com os autores, existem vários motivos pelos quais considerar a biomecânica isolada não levaria a mudanças no desfecho dos pacientes com dor lombar:

1 A dor lombar é multifatorial e a biomecânica é apenas um dentre milhares de mecanismos que podem estar associados a mesma. Considerar outros fatores além da biomecânica parece ser importante para seleção efetiva do paciente e alocação do mesmo para o tratamento;

2 Intervenções baseadas na biomecânica não conseguiram refinamento adequado para alcançar o maior impacto possível na dor lombar;

3 A biomecânica parece ser eficaz apenas em um subconjunto muito restrito de pacientes, e os métodos para selecionar esses pacientes ainda não estão muito bem delineados;

4 Os fatores biomecânicos podem não ser a causa do input (gatilho) nociceptivo que contribui para a resposta à dor, ou a dor pode estar acontecendo por outras razões além do input nociceptivo.

Isso não significa que profissionais de saúde devem abandonar o raciocínio biomecânico, afinal, diversos estudos mostram a associação de parâmetros biomecânicos com a dor lombar. Deve-se tomar cuidado ao fazer afirmações baseadas puramente em variáveis individuais, como a biomecânica.

Da mesma forma também não é plausível considerar apenas fatores psicológicos ou sociais nesses pacientes. Cuidado com os extremismos.

O ser humano evoluiu em um mundo moldado pela força da gravidade e o movimento depende da interação entre biomecânica e controle motor para acontecer. A biomecânica não morreu, ela apenas está sendo readaptada a essa nova forma de enxergar a interação do ser humano com o ambiente que o cerca, que é o modelo biopsicossocial.

Em outras palavras, erguer um peso próximo do corpo continua sendo biomecanicamente mais econômico do que erguê-lo longe do corpo, mas isso não significa que ser menos econômico ao fazer um movimento será causa absoluta de dor na coluna.

Receba as novidades sobre ciência e saúde no seu email. Clique aqui para se cadastrar.

REFERÊNCIAS

1 Cholewicki J, Breen A, Popovich JM Jr, Reeves NP, Sahrmann SA, van Dillen LR, Vleeming A, Hodges PW. Can Biomechanics Research Lead to More Effective Treatment of Low Back Pain? A Point-Counterpoint Debate. J Orthop Sports Phys Ther. 2019 Jun;49(6):425-436.

2 Chou R, Huffman LH. Nonpharmacologic therapies for acute and chronic low back pain: a review of the evidence for an American Pain Society/American College of Physicians clinical practice guideline. Ann Intern Med. 2007;147:492-504.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s